O colágeno hidrolisado ajuda mesmo na firmeza da pele, cabelo e unhas?

Por Melissa de Araujo Ianck – Nutricionista – CRN 8 12333/P

A suplementação do colágeno ainda é atualmente, muito polêmica. Sabe-se que o colágeno hidrolisado é reconhecido como um nutracêutico seguro, cuja combinação de aminoácidos estimula a síntese de colágeno nas cartilagens e na matriz extracelular de outros tecidos. Nutracêuticos (combinação das palavras “nutrição” e “farmacêutica”) são substâncias consideradas como adjuvantes na prevenção e tratamento de doenças crônicas. 

Segundo estudos do meio científico, uma das principais causas do envelhecimento é a perda do colágeno pelo organismo. Os músculos começam a ficar flácidos, a densidade dos ossos diminui, as articulações e os ligamentos perdem elasticidade e força motora. Segundo Oliveira et al (2010) e Rodrigues (2009), a perda de colágeno ocorre a partir dos 30 anos, quando o corpo passa a perder 1% da proteína ao ano. Entretanto, a suplementação de colágeno pode ser iniciada antes dessa idade como prevenção, a partir dos 25 anos por exemplo. Além do envelhecimento, o estilo de vida do indivíduo também influência nesta perda gradual de colágeno, como por exemplo: tabagismo, consumo excessivo de álcool e exposição excessiva ao sol. 

Os tipos de colágeno variam em diâmetro, composição de aminoácidos, comprimento, estrutura molecular, concentração e localização nos diversos tecidos (DUARTE, 2011). Totalizando em média 12 tipos diferentes, com ações metabolicamente diferentes. Algo importante de ser esclarecido é que o ácido ascórbico exerce papel fundamental no crescimento e reparação do tecido conjuntivo. A vitamina C está diretamente ligada a síntese do colágeno, mantendo o tônus e a firmeza da pele. Por isso, se o indivíduo estiver com carência de vitamina C, a absorção do colágeno não será eficaz, é necessário o sinergismo entre a vitamina C e a ingestão adequada de colágeno (MACIEL e OLIVEIRA, 2011).

Embora não exista na literatura científica pesquisada consenso sobre a dosagem de colágeno hidrolisado a ser administrada, estudos mostram que a  suplementação de 8g diária já é relacionada com o aumento da concentração de glicina e prolina (aminoácidos que constituintes do colágeno) no plasma para melhora de elasticidade da pele (anti-idade) e doses equivalentes a 12g diária promovem melhora significativa nos sintomas de osteoartrite e osteoporose. 

Alguns alimentos ricos em colágeno são: Aveia, carnes, ovos, cenoura, abacate, oleaginosas, vegetais de cor laranja, soja, alho, ostras, algas. Além disso as frutas cítricas e frutas vermelhas contribuem para absorção eficaz do colágeno, pois possuem vitamina C e flavonoides, que ao trabalharem juntos possuem ação antioxidante de maneira que combatem os radicais livres, que é um dos grandes causadores da diminuição dos níveis de colágeno no organismo. Alimentos como o tomate, pimenta e beterraba também auxiliam nesse processo, pois possuem o antioxidante chamado de licopeno em sua composição protegendo a pele contra danos, como se fosse um protetor solar natural, ao mesmo tempo em que faz com que os níveis de colágeno do organismo aumentem.

Referências bibliográficas:

  1. PORFIRIO, Elisângela; FANARO, Gustavo Bernardes. Collagen supplementation as a complementary therapy for the prevention and treatment of osteoporosis and osteoarthritis: a systematic review. Rev. bras. geriatr. gerontol., Rio de Janeiro ,  v. 19, n. 1, p. 153-164,  Feb.  2016 .  
  2. 2018 – ABRAN – Associação Brasileira de Nutrologia, SUPLEMENTOS COM COLÁGENO FUNCIONAM? 
  3. Bombana, Vanessa; Zanardo, Viviam. USO DO COLÁGENO HIDROLISADO NA PREVENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO. PERSPECTIVA, Erechim. v. 43, n.161, p. 101-110, março/2019
  4. GONÇALVES, Gleidiana Rodrigues et al. Benefícios da ingestão de colágeno para o organismo humano. Revista Eletrônica de Biologia, Brasil, v. 8, n. 2, p.190-207, dez. 2015.

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *