Um grande problema chamado INSÔNIA

A insônia é um distúrbio que prejudica o sono noturno das pessoas ao adormecer ou também manter o sono durante a noite toda. Pessoas que sofrem de insônia ficam mais cansadas, mal- humoradas, tem o desempenho físico e mental prejudicados além de contribuir com o estress diário. A qualidade de vida da pessoa, em geral, costuma ficar comprometida pela insônia.

Muitos adultos apresentam insônia em algum momento da vida, mas algumas pessoas têm insônia crônica, que pode perdurar por um período de tempo muito maior do que o normal.

A insônia pode ser, ainda, um distúrbio secundário causado por outros motivos, como doença ou uso indevido de medicação.

Causas

– Ansiedade

– Depressão

– Estresse

– Mudanças no ambiente ou no horário de trabalho

– Maus hábitos do sono

– Excesso de cafeína, álcool ou nicotina

Como tratar?

Uma mudança nos hábitos de sono e tratar as causas subjacentes da insônia, como condições médicas ou medicamentos, pode restaurar um padrão de sono saudável em muitos pacientes. Se essas medidas não funcionarem, o médico pode recomendar medicamentos para ajudar com o relaxamento e na readequação do sono.

Hoje em dia temos também diversos produtos naturais que auxiliam no tratamento, trazendo mais relaxamento e qualidade de vida. 

O colágeno hidrolisado ajuda mesmo na firmeza da pele, cabelo e unhas?

Por Melissa de Araujo Ianck – Nutricionista – CRN 8 12333/P

A suplementação do colágeno ainda é atualmente, muito polêmica. Sabe-se que o colágeno hidrolisado é reconhecido como um nutracêutico seguro, cuja combinação de aminoácidos estimula a síntese de colágeno nas cartilagens e na matriz extracelular de outros tecidos. Nutracêuticos (combinação das palavras “nutrição” e “farmacêutica”) são substâncias consideradas como adjuvantes na prevenção e tratamento de doenças crônicas. 

Segundo estudos do meio científico, uma das principais causas do envelhecimento é a perda do colágeno pelo organismo. Os músculos começam a ficar flácidos, a densidade dos ossos diminui, as articulações e os ligamentos perdem elasticidade e força motora. Segundo Oliveira et al (2010) e Rodrigues (2009), a perda de colágeno ocorre a partir dos 30 anos, quando o corpo passa a perder 1% da proteína ao ano. Entretanto, a suplementação de colágeno pode ser iniciada antes dessa idade como prevenção, a partir dos 25 anos por exemplo. Além do envelhecimento, o estilo de vida do indivíduo também influência nesta perda gradual de colágeno, como por exemplo: tabagismo, consumo excessivo de álcool e exposição excessiva ao sol. 

Os tipos de colágeno variam em diâmetro, composição de aminoácidos, comprimento, estrutura molecular, concentração e localização nos diversos tecidos (DUARTE, 2011). Totalizando em média 12 tipos diferentes, com ações metabolicamente diferentes. Algo importante de ser esclarecido é que o ácido ascórbico exerce papel fundamental no crescimento e reparação do tecido conjuntivo. A vitamina C está diretamente ligada a síntese do colágeno, mantendo o tônus e a firmeza da pele. Por isso, se o indivíduo estiver com carência de vitamina C, a absorção do colágeno não será eficaz, é necessário o sinergismo entre a vitamina C e a ingestão adequada de colágeno (MACIEL e OLIVEIRA, 2011).

Embora não exista na literatura científica pesquisada consenso sobre a dosagem de colágeno hidrolisado a ser administrada, estudos mostram que a  suplementação de 8g diária já é relacionada com o aumento da concentração de glicina e prolina (aminoácidos que constituintes do colágeno) no plasma para melhora de elasticidade da pele (anti-idade) e doses equivalentes a 12g diária promovem melhora significativa nos sintomas de osteoartrite e osteoporose. 

Alguns alimentos ricos em colágeno são: Aveia, carnes, ovos, cenoura, abacate, oleaginosas, vegetais de cor laranja, soja, alho, ostras, algas. Além disso as frutas cítricas e frutas vermelhas contribuem para absorção eficaz do colágeno, pois possuem vitamina C e flavonoides, que ao trabalharem juntos possuem ação antioxidante de maneira que combatem os radicais livres, que é um dos grandes causadores da diminuição dos níveis de colágeno no organismo. Alimentos como o tomate, pimenta e beterraba também auxiliam nesse processo, pois possuem o antioxidante chamado de licopeno em sua composição protegendo a pele contra danos, como se fosse um protetor solar natural, ao mesmo tempo em que faz com que os níveis de colágeno do organismo aumentem.

Referências bibliográficas:

  1. PORFIRIO, Elisângela; FANARO, Gustavo Bernardes. Collagen supplementation as a complementary therapy for the prevention and treatment of osteoporosis and osteoarthritis: a systematic review. Rev. bras. geriatr. gerontol., Rio de Janeiro ,  v. 19, n. 1, p. 153-164,  Feb.  2016 .  
  2. 2018 – ABRAN – Associação Brasileira de Nutrologia, SUPLEMENTOS COM COLÁGENO FUNCIONAM? 
  3. Bombana, Vanessa; Zanardo, Viviam. USO DO COLÁGENO HIDROLISADO NA PREVENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO. PERSPECTIVA, Erechim. v. 43, n.161, p. 101-110, março/2019
  4. GONÇALVES, Gleidiana Rodrigues et al. Benefícios da ingestão de colágeno para o organismo humano. Revista Eletrônica de Biologia, Brasil, v. 8, n. 2, p.190-207, dez. 2015.